Case: O que fez o PODEntender migrar do Wordpress para o Jigsaw

por Níckolas Silva em 01/05/2019

Quem me acompanha sabe que há alguns meses passei a integrar a equipe do Maior Podcast em Linha Reta da América Latina e quiçá de Pernambuco, o podcast de divulgação científica PODEntender.

Este podcast - como quase todos os outros - é um projeto independente e, naturalmente, de budget reduzido. Que me trouxe a encontrar um website todo fulêro em cima de Wordpress, vários plugins estranhos, um template muito limitado e uma hospedagem barata que permitia o site cair com 15 usuários simultâneos.

Para quem quer salvar a produção científica de um país de quase 210 milhões de habitantes, 15 usuários simultâneos não é bem o que podemos chamar de "limite confortável".

Início da análise

O site já estava pegando fogo, nenhuma falha era novidade. Então em vez de aplicar várias das possíveis medidas urgentes eu resolvi primeiro observar quais eram os problemas e oportunidades que existiam.

A minha maior missão naquele momento era evitar que o site caísse com apenas 15 usuários. Com isto em mente encontrei algumas falhas interessantes no site que poderiam ser rapidamente corrigidas:

  • Os arquivos não eram minificados
  • O template carregava 8 arquivos CSS diferentes
  • Várias fontes diferentes de JS sendo carregadas
  • Um dos arquivos CSS era dinâmico, gerado pelo Wordpress (e levava 3 segundos para ser gerado)
  • Não havia um mecanismo de caching para as páginas geradas
  • Imagens de dimensões continentais e tamanho em média superior a 1 mega-byte
  • JavaScript abusivamente pesado, diversas versões de jQuery na mesma página
  • Nenhum dos recursos estava num CDN e todos eram processados pelo PHP antes de serem enviados ao browser

O site parecia um daqueles exemplos bizarros que o PokemãoBR dá em seus stand-ups.

As tentativas de corrigir o cenário, porém, falharam miseravelmente.

Limitações de hospedagem, Wordpress, template, falha (falta) de processos da equipe interna que por vezes atualizava o template quando atualização ficava disponível, gerando um wipe em todas as alterações manuais. E é claro, não havia um sistema de versionamento...

Primeira proposta: Utilizar o Cloudflare para caching e distribuição global

O serviço Cloudflare é muito bacana para projetos de baixo custo, pois mesmo a versão gratuita oferece funcionalidades incríveis como minificação de arquivos, caching, gerenciamento de DNS e por aí vai.

A intenção aqui era adicionar uma camada de caching nos recursos css e js do site para evitar que todas as bizarrices acima mencionadas fossem requisitadas mais de uma vez ao servidor. Desta forma eu esperava que a carga no servidor diminuísse e a gente conseguisse ao menos ver o site cair com menor frequência.

A migração levou 10 minutos no total. E para todo IP europeu que utilizei pra testar em diversas ferramentas, as métricas estavam incrivelmente boas. Foi felicidade instantânea!

Minutos depois recebo a reclamação de usuários brasileiros que o site estava chorosamente lento. Desfazer a integração levou alguns segundos apenas, mas nada parecia fazer sentido!

Por que cargas d'água o site ficou mais lento no país onde o servidor está!?

Naturalmente eu não tinha acesso ao ssh do servidor para monitorar os logs de acesso e performance, mas pude notar que algumas páginas foram cacheadas com o conteúdo de resposta erro 503 padrão da hospedagem.

O servidor provavelmente não aguentou sequer a negociação de conteúdo com o Cloudflare.

Além disso ao acessar o painel de administração do Wordpress uma barra preta é adicionada ao topo do site normal na navegação. Acabamos adicionando também esta barra preta no cache por acidente.

Lições da vida...

Segunda proposta: Prover páginas estáticas para diminuir a carga e tempo de resposta

Ora, se o processamento está condenando a nossa infraestrutura vamos então acabar com ele! E foi com sangue nos olhos e muita força de vontade que eu comecei a desenvolver o primeiro protótipo do projeto Estatista.

A intenção aqui era criar um spider que iria baixar o site inteiro e seus recursos, organizar em diretório físico e enviar ao Github Pages para que pudessemos oferecer este conteúdo num servidor gratuito, de ampla distribuição e que tinha chances bem menores de cair.

Foi um projeto de final de semana interessante e que mudou de estrutura duas vezes por uma razão simples: péssimas decisões de design.

Arrastando já há algumas semanas e sem resultados concretos, a situação do site começou a ficar cada vez mais crítica e quase todas as medidas de branding e SEO que queríamos aplicar estavam bloqueadas pela situação.

Foi quando eu revisitei o repositório do phpsp.org.br...

O novo site do PHPSP estava não somente de cara mas de corpo novo e esta nova infraestrutura do website trazia consigo um potencial de performance muito grande.

Usando como base o Jigsaw para fazer o server side rendering o site passaria a ser gerado já de forma estática.

Com arquivos .html em mãos eu poderia simplesmente publicar tudo com Github Pages e reduzir a zero o custo de infraestrutura com o site, diminuir o tempo de resposta, distribuir o site em diversos continentes com alta performance e voltar a utilizar o Cloudflare sem problemas.

O potencial se confirmou para mim ao testar o site do phpsp com o Google Lighthouse:

Uma pontuação de 93/100 no Google Lighthouse é um tanto impressionante. Considere que, no momento em que escrevo este post, o Facebook atinge um score de 76/100 no mesmo teste e categoria. O PODEntender estava em 9/100, tadinho.

Resultado do Lighthouse apresentando 93/100 em Performance

Terceira proposta: vamos sair do Wordpress e gerar páginas estáticas!

Não me entenda mal: eu tenho várias ressalvas quanto ao Wordpress mas o vejo como uma ferramenta incrível se bem utilizada.

O nosso contexto exigia uma solução menos robusta, com maior performance e custo reduzido. E de longe não estávamos fazendo bom uso do Wordpress.

Inspirado pelo phpsp.org.br decidi migrar para um gerador estático de páginas e para uma hospedagem web que aguentasse o tranco.

A decisão natural seria utilizar o Github Pages e, com ele, o gerador de sites Jekyll (ruby), pois já possui diversas integrações interessantes com este serviço.

Ao mesmo tempo, o site do phpsp estava iniciando sua reformulação e precisaria de auxílio. O site acabou optando por uma ferramenta em php menos integrada e com menor variedade (por enquanto) de plugins disponíveis: o Jigsaw.

Sem sombra de dúvidas decidi então seguir a deixa: o que eu desenvolver ao PODEntender será potencialmente útil ao phpsp. E assim a gente caminha juntos. 😉

E assim seguimos

Quatro meses depois renovando layout, migrando conteúdo, ajustando bugs, tomando certeza de que todas nossas integrações continuariam funcionando e um mês de beta testing, o novo site do PODEntender está no ar.

Os desafios que encontramos pelo caminho foram um tanto interessantes: de recuperar links do Google que apontavam a páginas antigas até manter o feed compatível com a versão anterior para o iTunes e Spotify. Com total certeza irei apresentar os problemas e soluções encontradas!

Como não poderia deixar de ser, preciso encerrar este texto com métricas felizes! O site saiu de beta e entrou em produção há uma semana, coletou apenas elogios e atingiu a marca de 98/100 na métrica de performance do Lighthouse. Além de termos tido a oportunidade de corrigir o template para alcançar 100/100 em todas as outras métricas: Acessibilidade, Melhores Práticas e SEO. O First Contentful Paint que antes batia 15 segundos, agora se resolve em 0,8 segundos.

Resultado do Lighthouse apresentando 98/100 em Performance

Com total certeza ainda temos muito o que melhorar no projeto do podcast: funcionalidade, layout, seo. Mas o primeiro passo foi concluído e agora, sem que o website esteja em chamas, o PODEntender passa a caminhar junto do phpsp.org.br, propondo, desenvolvendo e compartilhando plugins e corrigindo problemas específicos da nossa plataforma.

Se você estiver curioso(a) em como os nossos sites foram desenvolvidos ou tiver qualquer sugestão de melhoria, dá uma olhadinha no novo repositório do estatista no PODEntender e no repositório do blog phpsp.org.br. Ambos projetos estão abertos no Github e contentes em receber a sua contribuição.

Um xêro muito grande a todos e até a próxima!

Mais posts deste Autor

Acha que esse conteúdo possui erros ou poderia ser aperfeiçoado? Colabore!